Direção faz balanço dos 30 anos do SindilimpBA e quer ampliar luta por direitos trabalhistas

O Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Pública, Asseio, Conservação, Jardinagem e Controle de Pragas Intermunicipal (SindilimpBA) completa 30 anos nesta segunda-feira (2) e a direção fez um balanço das três décadas, ao reafirmar a luta por direitos trabalhistas dos terceirizados e contratados contra retrocessos do governo Bolsonaro e contra as empresas ‘caloteiras’. Eleito para representar a categoria na Câmara de Salvador, o então diretor jurídico da entidade Luiz Carlos Suíca (PT) se afastou para ampliar a atuação e dar voz política aos responsáveis pela manutenção e promoção da saúde de quem vive nas cidades. “Foi isso que aconteceu, o sindicato abraçou os trabalhadores de diferentes regiões e segue ampliando sua atuação pelo estado. Temos que enfrentar mais um momento difícil da história e lutar contra as retiradas de direitos do governo Bolsonaro, e o sindicato compreende essa luta”, enfatiza Suíca. A direção do SindilimpBA, representada pela coordenadora-geral Ana Angélica Rabello, elencou alguns feitos do sindicato e destacou a importância de ter um vereador representando a categoria, além de salientar as expressivas votações que teve nos últimos pleitos com apoio massivo dos sindicalistas. “Passamos a ter uma voz ativa e atuante na Casa do Povo em Salvador, mas precisamos avançar e ter dois representantes. Um na Assembleia e outro na Câmara da capital e seguir a atuação com compromisso e defendendo os profissionais que por algum motivo tiveram seus direitos negados”, completa. Ana Angélica considerou um dos momentos mais importantes da trajetória do sindicato a luta contra a demissão dos 4.741 profissionais pela prefeitura de Salvador em 17 de fevereiro de 1997 sem receber os direitos trabalhistas. O SindilimpBa ainda atua na campanha salarial em ação na área de limpeza urbana com paralisações que mudam o cotidiano do soteropolitano. Neste momento de comemorações, Suíca corroborou com Ana nos pontos de importância e frisou que a entidade está sendo coordenada “por uma mulher de garra”, já que habitualmente são homens que ocupam essa função. “Venceu inúmeros obstáculos na vida para ser a líder que é hoje. Tenho que me ater aos fatos. E os números mostram a atuação de Ana. Temos mais de 7 mil sindicalizados e inúmeros acordos fechados com participação direta de Ana e dos trabalhadores”. Suíca lembra que a atuação sindicalista fez Ana e o saudoso sindicalista Edson Conceição serem presos durante protestos contra recorrentes atrasos dos salários dos terceirizados, em frente ao Colégio Landulfo Alves, em Salvador. A categoria tem a atenção e o atendimento em uma sede própria na capital, realiza interações como a ‘Festa do Trabalhador em Limpeza’ como homenagem ao ‘Dia Nacional do Trabalhador em Limpeza’, comemorado no dia 16 de maio. Também acompanha de perto os processos trabalhistas e atua em campanhas salariais como a de 2013, que é outro marco da atuação do sindicato, quando foi conquistado um dos melhores reajustes por quaisquer categorias neste período: 13% para os garis. Além disso, a categoria assegurou o benefício da assistência médica, assumida pelas empresas, uma cesta básica todas as vezes que sair de férias e tíquete alimentação quando os funcionários da limpeza trabalharem aos domingos.

Categorias: DESTAQUE,NOTÍCIAS

Comentários estão fechados

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress