Sindilimp em defesa do SUS. Destruição beneficia empresas e prejudicam trabalhadoras/es

O vereador Luiz Carlos Suíca, diretor licenciado do Sindilimp-BA, tem sempre se pronunciado em defesa do do Sistema Único de Saúde (SUS).

O Sindilimp-BA, em especial com nossa atuação no Departamento de Saúde do Trabalhador das diversas entidades e na CUT-BA, defende a valorização do Sistema Único de Saúde (SUS). O SUS oferece da vacinação no posto até a cirurgia para a separação de gêmeos siameses. Tentar desmoralizar esta conquista popular é auxiliar as empresas de saúde que visam apenas o lucro e não a saúde das trabalhadoras e trabalhadores.

Estamos às vésperas das eleições e queremos deputados estaduais e federais que nos representem, gente da gente, que defendam mudanças de tributos, de impostos, que atinjam os mais ricos para que a gente possa ter serviços públicos de saúde, educação, cultura, transporte, habitação para o conjunto da população brasileira.

É muito simples entender no seu dia a dia a importância de um SUS com qualidade, um SUS que funcione, com médicos, com hospitais, remédios. E para isso será necessário fazer uma reforma tributária, onde os ricos sejam tributados, para que os serviços públicos funcionem cada vez melhor.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o atendimento mais básico no posto até a cirurgia mais complexa, como a separação de gêmeos siameses e transplantes do coração. Tudo isso tem um custo e quem paga é a sociedade brasileira.

O Sistema Único de Saúde (SUS) é um sistema bastante avançado e a população brasileira, a dona de casa, o trabalhador, o motorista de ônibus, tem que entender que esse sistema representa desde a Constituição de 1988 um avanço muito grande para a população, no que se refere ao acesso dos serviços públicos de saúde.

Em primeiro lugar, a ideia do SUS é que a pessoa independente de sua renda, de sua inserção no mercado de trabalho e independente de sua condição de saúde, se está com uma doença muito grave ou apenas com uma gripe, a Constituição de 88 garante ao trabalhador e à trabalhadora brasileira um direito social muito significativo. E isso tem impactos significativos sobre a qualidade de vida, as condições de saúde dos indivíduos, as condições de saúde das famílias.

O Sistema Único de Saúde é financiado, sobretudo pela classe trabalhadora e pelas famílias brasileiras. É um direito social que precisa ser garantido, que precisa também do apoio da população para que funcione da melhor forma, porque existe uma disputa pelos recursos públicos. Se o dinheiro [público] vai para os bancos, se vai para a Saúde, para a Educação, para atender as demandas populares, para atender as classes médias.

O SUS é uma conquista social e será mantido com vontade política e uma refirma tributária que atinja aqueles que estão entre os 1% dos mais ricos do Brasil. É isto mesmo, apenas 1% da população concentra a maior parte da renda e da riqueza do Brasil. Estes são os ricos que serão atingidos e não os donos de mercadinhos, lojas nos bairros etc. Estamos firmes na defesa dos serviços públicos que funcionem cada vez melhor.

*Com dados do site Saúde Popular e CUT-BA

Categorias: NOTÍCIAS

Tags: ,

Comentários estão fechados

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress